Os valores das multas serão reajustados em até 66%, além de infrações que passaram de média para gravíssima, como exemplo, usar celular o valor será de R$ 293,47.

O aumentos das multas foram anunciados em maio desse ano, mas só agora foi liberado. Algumas multas serão agravadas, tais como, usar o celular ao volante, que passará de grau médio para gravíssimo. Assim a multa passará de R$ 85,13 para R$ 293,47, e os pontos na carteira de habilitação subirão de 4 para 7.

Também no caso do uso do celular o texto da lei passa citar que é infração segurar ou manusear o aparelho. Assim, o motorista que manda mensagens de texto ou fica olhando sites ou redes sociais também poderá ser punido, mesmo quando estiver parado no semáforo.

Resultado de imagem para disputar racha

Com relação a embriaguez ao volante, aumentará de R$ 1.915,00 para R$ 2.934,70 e ainda poderá ter a habilitação suspensa por 12 meses.

Também poderá pagar o valor máximo quem se recusar a fazer teste de bafômetro, exame clínico ou perícia para verificar presença de álcool ou drogas no corpo. Neste caso, se ele for reincidente em menos de 1 ano, a multa será dobrada, chegando a R$ 5.869,40.
Resultado de imagem para soprando bafometro

Outras mudanças foram nos prazos de suspensão de dirigir:

Para infrações que as multas são multiplicadas por 3, como dirigir sem CNH, o prazo máximo da suspensão passa de 2 a 7 meses para, no máximo, 6 meses.

Para quem comete infrações para as quais sejam previstas multas com fator multiplicador de 5 vezes, como as de ultrapassagem proibida, o prazo de suspensão, que era de 4 a 12 meses, passa a ser de 4 a 10 meses.

Resultado de imagem para ultrapassagem proibida

Foi criada uma nova categoria que engloba multas com fator multiplicador de 10 vezes, como disputar racha e dirigir alcoolizado, que o tempo de suspensão do direito de dirigir será de 8 a 12 meses.

Resultado de imagem para placa dirigir alcoolizado

Para infrações que não envolvam multas agravadas (multiplicadas), a suspensão segue sendo de 1 a 3 meses sem alterações.

Nos casos de reincidência:

Para os casos em que o motorista teve o direito de dirigir suspenso pela segunda vez em 1 ano, também houve alteração.

Nos casos cujo a infração que multa for multiplicada por 5, o tempo máximo de suspensão do direito de dirigir do reincidente foi reduzido de 12 a 24 meses para 10 a 20 meses.

Foi criada a categoria que engloba reincidência para multas com fator multiplicador de 10 vezes: o prazo de suspensão será de 12 a 24 meses.

Suspensão DIRETA do direito de dirigir:

Algumas infrações consideradas muito graves preveem a suspensão imediata do direito de dirigir mesmo que o motorista não atinja a soma de 20 pontos na carteira, tais como, dirigir sob influência de álcool ou entorpecente, disputar racha, não prestar socorro a vítima de acidente, rodar acima de 50% da velocidade máxima permitida na via, andar de moto sem capacete e furar bloqueio policial.

Devolução da CNH para o infrator:

Quando ocorrer a suspensão do direito de dirigir, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) será devolvida a seu titular após cumprida a penalidade e com aprovação no curso de reciclagem.

Veja os novos valores de multas a partir de 1º de novembro:
 
Infração leve
– De R$ 53,20 para R$ 88,38 (aumento de 66%)
Exemplos: parar sobre a faixa de pedestres ou calçada, usar a buzina em local ou horário proibidos pela sinalização.
Infração média
– De R$ 85,13 para R$ 130,16 (aumento de 52%)
Exemplos: transitar em horário ou local proibidos (o “rodízio” em São Paulo, por exemplo), dirigir com o braço para fora, farol ou lanterna queimados.
Infração grave
– De R$ 127,69 para R$ 195,23 (aumento de 52%)
Exemplos: estacionar sobre faixa de pedestres ou ciclovia, não dar seta, conduzir o veículo em mau estado de conservação (pneu careca, por exemplo).
Infração gravíssima
– De R$ 191,54 para R$ 293,47 (aumento de 53%)

Fotos: Divulgação

Texto: Aleksander Soares / União Motorcycle

Unindo Através das Duas Rodas