Dica de hoje: Frenagem, você acha que sabe, mais não sabe, paquere sua motocicleta, uma relação não é boa quando você não conhece o outro lado.

img1

Aprenda a frear.

Pesquisas da associação dos fabricantes de motos, a ABRACICLO, mostram que um dos grandes problemas de nosso motociclista é não saber como se freia corretamente.

Pesquisas da associação dos fabricantes de motos, a ABRACICLO, mostram que um dos grandes problemas de nosso motociclista é não saber como se freia corretamente.
A grande maioria ainda pensa que o certo é usar predominantemente o freio traseiro, deixando ao dianteiro o papel secundário. Na verdade, o certo é o exato oposto: é o dianteiro que deve ser acionado com mais ênfase, algo como 70% da força aplicada a ele, deixando os restantes 30% ao pedal traseiro.
De fato, à roda traseira caberá apenas o papel de equilibrar a frenagem, estando na roda dianteira o real poder de reduzir a velocidade de sua moto. Esse assunto rende “pano para manga”, pois há uma forte e resistente ignorância sobre o tema, assim como um temor de que a motocicleta, se o freio dianteiro for acionado demasiadamente, capotará… Na verdade há apenas um tipo de moto no qual se pode dar mais ênfase à roda traseira, e mesmo assim em proporção que jamais supere o 50%-50% da força aplicada: são as motos custom, aquelas voltadas para viagem, especialmente as maiores, com motores acima de 600 cc. Isso ocorre em razão da arquitetura diferenciada destes modelos, que privilegiam a concentração do peso no eixo traseiro.

Tempo de reação.

Tempo de reação é o tempo gasto desde o momento em que você vê o perigo até o momento em que aciona os freios. Em média, o tempo de reação das pessoas é de 0,75 segundo. O tempo de reação varia de pessoa a pessoa, em função da idade e do estado físico. Por exemplo: uma pessoa de 50 anos reage em média 15% mais lentamente do que uma pessoa de 20 anos. Mas não é só a idade que importa. Condições físicas e mentais também. Uma pessoa cansada, física ou mentalmente, ou então alcoolizada, terá seu tempo de reação aumentado de duas a cinco vezes.

Distância de reação

É a distância percorrida pela motocicleta desde o instante em que o motociclista visualiza o obstáculo até o momento em que aciona os freios.
A distância percorrida pelo veículo durante o tempo de reação é muito importante. Mesmo que o motociclista veja um obstáculo e imediatamente queira parar, a motocicleta continuará se movimentando na mesma velocidade que vinha desenvolvendo, até o momento em que são acionados os freios. Entre o momento em que o obstáculo foi visto e o momento em que os freios são acionados, transcorreu o tempo de reação. Quanto maior for a velocidade maior será a distância de reação.
Você está de motocicleta, numa estrada, a 100 km/h. de repente, você avista um caminhão bloqueando a estrada. Considerando que o seu tempo de reação é normal (0,5 segundo), a moto andará 14 metros até você acionar os freios! Essa é a distância de reação. Somente após andar 14 metros é que os freios são acionados. Quanto maior a velocidade do veículo, maior a distância que ele irá percorrer durante o tempo de reação.
Com todas estas dicas, dá para notar que frear não é tão fácil assim, e saber frear sua motocicleta é tão ou mais importante que saber enroscar o cabo, “treinar”, esta é a dica.

freio1

Paquere sua moto.

Motos têm caráter? Ôh se têm! Algumas são furiosas, outras, pacatas ou enigmáticas… O importante é que você conheça sua moto e saiba montar um arquivo na sua mente sobre como agir em cada situação. Uma boa prática quando se compra uma moto nova é buscar um lugar tranquilo e ensaiar frenagens em velocidades diferentes, percebendo como o veículo se comporta.
A mesma coisa deve ser feita com mudanças de direção, realizando o chamado slalom, um ziguezague que lhe dará noção do equilíbrio de sua nova montaria. Frear, acelerar, frear de novo, reduzir marchas… treinar é sempre bom, assim como botar a cabeça para funcionar e absorver o ensinamento que cada quilômetro rodado pode trazer.

Tecnologia.

freio2

A tecnologia está aí, use e abuse, não tenha receio, quanto mais tecnologia embarcada em sua motocicleta, mais segurança e conforto terá, tecnologia embarcada não é custo, é investimento em você, pense nisto e procure modelos e marcas que ofereçam mais e mais.

Faça cursos, treine, se a motocicleta é seu hobby, sua religião, estude-a, você sempre será a parte mais fraca na relação com trânsito, então, aprenda tudo que puder para proporcionar a você uma pilotagem consciente, tranquila e prazerosa.

Estas são algumas dicas que espero ajudem a diminuir acidentes e que possamos usufruir de nossas máquinas, seja ela pequena ou de grande cilindrada. As estradas estão aí a nossa espera, com suas belezas, infinitas retas e loucas curvas, mas com milhões de perigos à espreita também, por isto, pilote sempre bem equipado, manutenção em dia e mantenha o foco, sempre.

______________________________________________________________________________________________________

Editora: Tânia Karla – Cobra Leste MC

Fotos: Divulgação

Fonte: http://eventosmotociclisticos.com.br/

União Motorcycle Unindo Através das Duas Rodas