9º Festival da Lagosta – Praia da Peroba – Icapuí CE

9º Festival da Lagosta, luau, briza do mar, fogueira… tudo se iniciou em uma sexta feira a noite na beira do mar… assim começou o Festival.

 

9º Festival da Lagosta – Foto oficial – Paulo Walraven (PW)

Na sexta a noite, 22/07/16, se iniciou o 9º Festival da Lagosta organizado por Luiz Almeida na praia de Ponta Grossa na barraca de Sidrak. Na sexta é uma entrada para o Festival com um belo churrasco de peixe feito na fogueira à beira mar sob o olhar da lua que sempre ilumina todos os festivais. Era apenas o inicio de uma grande confraternização, pois nem todos tinham chegado. Peixe a vontade, 45 quilos, baião de dois, caldo de polvo (ainda bem que não era lula, pois poderia fazer mal), muita conversa boa regada a uma cerva bem gelada. Assim foi o inicio!!

Todos os anos Luiz Almeida combina com motociclistas para formar um grupo e irem um dia anterior para praia da Peroba, onde acontece o evento, pela areia da praia. Saindo de Fortaleza até Majorlandia, onde de lá pegam o caminho pela praia até Ponta Grossa com parada na barraca de Sidrak, para “bater o centro” , e se juntar com os “pés de alfaces”. Apelido dado por Luiz Almeida aos motociclistas que preferem ir pelo asfalto do que ir pela praia. Separando assim os “verdadeiros motociclistas dos pés de alface”.  Uma analogia que Luiz faz para diferenciar os “cabras machos” dos delicados que não gostam de areia. Mas esse ano só veio pela praia Luiz Almeida e Emerson Costa, Fox Moto Grupo.

 

Foto: Emerson Costa (Fox Moto Grupo)

Durante o dia de sábado, 23/07/16, há um verdadeiro mutirão à casa de Luiz e Marta (namorada e braço direito no evento) em Peroba para a entrega das camisas do Festival, onde depois seguem para um turismo na região para conhecer as belas praias, fazer mergulho, conhecer as falésias e muito mais. E a noite se encontrarem no Festival.

Farra grande para receber as camisas do Festival – Foto: Emerson Costa (Fox Moto Grupo)

Este ano o Festival foi realizado na pousada Beija Flor (Praia da Redonda, Icapuí CE), onde muitos se hospedaram para que não tivessem trabalho de sair após o fim da festa. A pousada tem uma ótima infraestrutura de hospedagem com 4 chalés, 8 apartamentos, piscina e uma área muito grande para lazer, além de uma estrutura de cozinha muito boa para realização do Festival.

Chalés Pousada Beija Flor

Por volta das 19 horas de sábado os participantes do Festival começaram a chegar na pousada, assim como as lagostas, cozinheiros e os anfitriões. A movimentação foi grande com pessoas de Florianópolis, Recife, Salvador, Curitiba, São Paulo e Fortaleza. Muitos do Clube XT600 alem do Fox Moto Grupo, Dragões Indomáveis e motociclistas independentes. Também tinha convidados que não participavam do mundo das duas rodas, mas que foram convidados por algum aficionado pelo esporte e lazer das duas rodas. “O Festival sempre vai ter como base os motociclistas amigos. Sempre que tivermos pessoas que não são do meio do motociclismo ele estará presente por convite de um motociclista, pois todos se conhecem e essa é a base fundamental do Festival desde quando foi criado na época por mim e Franz Georg. Já recebi vários convites para patrocínio de órgãos públicos da região para realização do Festival, mas sempre neguei, pois o intuito não é crescer e sim aproximar nossos amigos nessa grande farra” Luiz Almeida. Com esse pensamento o Luiz Almeida sempre limita a quantidade de camisas vendidas para o Festival. Sempre fica em torno de 80 camisas. A criação da logo do Festival fica a cargo todos os anos do Paulo Walraven (PW).

Todas as logos do Festival criada pelo artista Paulo Walraven (PW)

Preparo da lagosta pelos pescadores cozinheiros

Será que tem lagosta!

Bodó tratando as lagostas.

Não demorou muito e as primeiras lagostas fritas ao alho e óleo começaram a serem servidas. Eram lagostas servidas a vontade, muito farto, assim como muita conversa boa, cerveja gelada alem de umas cachaças para acompanhar.

Luiz pode contar, como em todos os anos, com a ajuda de pescadores locais, Bodó, Bola Chico, Búzio, Ângelo, Geová entre outros para tratarem e assar as lagostas.

Ajuda dos pescadores

No fim da farra das lagostas quem havia pensado que tinha terminado se enganou, agora o próprio Luiz Almeida iria preparar uma muqueca de camarão, 22 kg, para finalizar o grande Festival em grande estilo, mas também, para concretizar o próximo festival que vai ser o 10º Festival da Lagosta.

Luiz preparando a muqueca de camarão

Muqueca de camarão pronta

Fotos: Aleksander Soares / Emerson Costa / PW

Aleksander Soares – União Motorcycle

Unindo Através das Duas Rodas